Comunicação

O nosso email: pontonodesporto@hotmail.com

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Valverde vence etapa 17 do Tour de France



Alejandro Valverde (Movistar) venceu a etapa 17 do Tour de France 2012, a última etapa de alta montanha nos Pirenéus desta edição. Valverde fez parte da fuga do dia e foi o único a resistir aos favoritos da CG. A etapa ficou outra vez marcada pelo duo da Sky Bradley Wiggins e Chritopher Froome, que fizeram 3º e 2º na etapa respetivamente, e pela aparente superioridade de Froome nas montanhas sobre o seu líder. De facto, Froome tinha a oportunidade de vencer a etapa e ganhar mais tempo para o 3º da geral Vincenzo Nibali, mas acabou por ser obrigado a manter-se ao lado do camisola amarela.

A Etapa


A etapa nº 17 do Tour de France era a última etapa de montanha da 99ª edição, num percurso de apenas 143.5 km que ligou Bagnères-du-Luchon a Peyragudes. No total eram 5 contagens de montanha: uma de 3ª, uma de 2ª, duas de 1ª e uma de categoria extra. Era, portanto, o último dia para muitos ciclistas brilharem e fazerem as últimas diferenças na alta montanha.

A etapa começou com algumas tentativas de fuga inconsequentes nos km iniciais de plano. Quando os ciclistas atingiram a 1º contagem de montanha do dia as verdadeiras tentativas de fuga começaram a formar-se com grandes nomes do ciclismo a tentarem escapar do pelotão. Ciclistas como Denis Menchov, Valverde, Pierre Rolland e Levi Leipheimer iam no grupo da frente mas que era mantido a uma curta distância do pelotão liderado pela Sky.

Estas movimentações iam deixando muito boa parte do pelotão em dificuldades, incluindo o 5º classificado Haimar Zubeldia. Enquanto Edvald Boasson Hagen fazia um grande trabalho no pelotão, Fredrik Kessiakoff tentava isolar-se na frente da corrida mas com a ajuda de Rolland, Thomas Voeckler conseguia juntar-se ao sueco e na luta no topo foi o francês a passar em 1º lugar na contagem da montanha.

Devido ao nevoeiro e à estrada molhada a primeira parte da descida do Col de Mente tornou-se muito perigosa e os ciclistas tomavam precauções redobradas. Entretanto Nibali usou a sua grande habilidade em descida e juntou-se rapidamente ao grupo de 7 ciclistas da frente onde já se encontrava Rui Costa. Atrás era evidentemente a equipa da Sky a perseguir com 30 segundos de atraso. Contudo, a presença de Nibali prejudicava o sucesso da fuga e o italiano deixou-se ficar para trás garantindo que a fuga permanecesse na frente da corrida.

Nos km antes do Col des Ares a fuga ficava finalmente definida com Valverde, Costa, Voeckler, Kessiakoff, Jean Christophe Peraud, Sandy Casar e Egoi Martinez. O ritmo no pelotão acalmava, o que levou a mais ciclistas a tentarem sair do pelotão e chegar-se ao grupo da frente. Na base da 2ª categoria a fuga tinha apenas uma vantagem de 1’40, com o pelotão a ser liderado pela Liquigas, que mantinha uma bom ritmo.

No topo do Col des Ares foi outra vez Voeckler a passar à frente de Kessiakoff com 40 segundos de vantagem para o segundo grupo de fugitivos, onde vinha Alexandre Vinokourov, Pieter Weening, Chris Anker Sorensen e Leipheimer, e 1’30 para o pelotão. Na descida Sorensen sofreu uma queda enquanto os dois grupos de fugitivos se juntavam na frente com a vantagem para o pelotão a aumentar para 2’30.

No topo da 3ª categoria Voeckler voltou a passar em 1º, enquanto a Liquigas comandava o pelotão que passou no topo com 3 minutos de atraso. De seguida os ciclistas da frente passaram o sprint intermedio (Blel Kadri passou em 1º) e a zona de abastecimento em direção à categoria extra Port de Balès. Os km iniciais da ascensão foram palco para algumas movimentações no grupo de fugitivos, especialmente por parte da Euskaltel, mas o ataque mais a sério foi o de Rui Costa com o intuito de desgastar a concorrência de modo a dar a possibilidade de Valverde passar ao ataque à procura da vitória na etapa, o que aconteceu a 3.5 km. No pelotão não havia mexidas e apenas com a Liquigas a impor o ritmo, o que não punha em dificuldades nenhum ciclista importante.

Na descida do Port de Balès, Valverde continuava a liderar a corrida com 50 segundos de vantagem para o seu companheiro Rui costa e 2’30 para o grupo do camisola amarela. A Liquigas continuava a liderar o grupo dos favoritos e iam apanhando ciclistas que faziam parte da fuga à medida que se aproximavam da base da última subida do dia. Nesse ponto passou a ser Ivan Basso a impor o ritmo antevendo um futuro ataque de Nibali. Rui Costa e Egoi Martinez foram alcançados nos km iniciais da subida e só restava Alejandro Valverde na frente da corrida com 2’30 de vantagem a 13 km da meta.

O trabalho de Basso foi pondo em dificuldades ciclistas como Zubeldia, Janez Brajkovic e Cadel Evans, enquanto Jelle Vanendert atacava o grupo de favoritos. A 8.5 km da meta foi a vez de Jurgen Van Den Broeck de atacar e juntar-se ao seu companheiro. Os outros favoritos conseguiram igualar o ataque do belga da Lotto e era Wiggins e Froome a passar para a frente do grupo. O ritmo do duo britânico começou a ser demasiado forte para os rivais e os favoritos iam perdendo contacto, primeiro Tejay Van Garderen e Nibali e mais tarde Van Den Broeck, Rolland e Pinot.

A 2.5 km da meta Froome e Wiggins estavam isolados à frente dos rivais e apenas a 45 segundos de um cansado Valverde e foi nesta altura que Froome queria procurar a vitória na etapa e ganhar mais tempo a Nibali, mas era obrigado a esperar pelo seu líder quando se mostrava claramente mais forte. Com esta situação, Valverde ganhava a etapa com 19 segundos de vantagem para Froome e Wiggins, que fizeram 2º e 3º respetivamente.

As Classificações


A etapa de hoje resultou no alargar da diferença entre o duo da Sky para a concorrência e em algumas trocas de posições, com Zubeldia e Brajkovic a caírem posições. Bradley Wiggins mantém a camisola amarela, Peter Sagan mantém a camisola verde, Thomas Voeckler mantém a camisola das bolinhas e Tejay Van Garderen mantém a camisola branca.


Classificação da etapa:
1.           Alejandro Valverde (Esp) Movistar – 4:12:11
2.           Christopher Froome (GBr) Sky – 0:00:19
3.           Bradley Wiggins (GBr) Sky – s.t.
4.           Thibaut Pinot (Fra) FDJ-Big Mat – 0:00:22
5.           Pierre Rolland (Fra) Europcar – 0:00:26
6.           Jurgen Van Den Broeck (Bel) Lotto Belisol – s.t.
7.           Vincenzo Nibali (Ita) Liquigas-Cannondale – 0:00:37
8.           Tejay Van Garderen (USA) BMC – 0:00:54
9.           Christopher Horner (USA) RadioShack-Nissan – 0:01:02
10.        Daniel Martin (Irl) Garmin – Sharp – 0:01:11
32.        Rui Costa (Por) Movistar – 0:06:55
47.        Sérgio Paulinho (Por) Saxo Bank-Tinkoff Bank – 0:15:02

Classificação geral:
1.           Bradley Wiggins (GBr) Sky – 78:28:02
2.           Christopher Froome (GBr) Sky – 0:02:05
3.           Vincenzo Nibali (Ita) Liquigas-Cannondale – 0:02:41
4.           Jurgen Van Den Broeck (Bel) Lotto Belisol – 0:05:53
5.           Tejay Van Garderen (USA) BMC – 0:08:30
6.           Cadel Evans (Aus) BMC – 0:09:57
7.           Haimar Zubeldia (Esp) RadioShack-Nissan – 0:10:11
8.           Pierre Rolland (Fra) Europcar – 0:10:17
9.           Janez Brajkovic (Slo) Astana – 0:11:00
10.        Thibaut Pinot (Fra) FDJ-Big Mat – 0:11:46
18.        Rui Costa (Por) Movistar – 0:29:43
52.        Sérgio Paulinho (Por) Saxo Bank-Tinkoff Bank – 1:40:01       

Sem comentários:

Publicar um comentário